A Ameaça do Outro descreve e analisa a vida religiosa em uma pequena cidade do Vale do Jequitinhonha mineiro - aqui denominada Terras Altas -, destacando a presença significativa de crenças mágicas na região. Dentre elas, ocupa posição central a forte crença em feitiçaria, capaz de influir os moradores da cidade a ponto de perceberem os outros como uma ameaça. A primeira parte da obra apresenta um resumo da história regional, nela incorporando um conjunto de relatos orais que conectam o passado com o presente e marcam o cotidiano local. A segunda parte aborda a centralidade do catolicismo na visão de mundo expressa pelos habitantes de Terras Altas. Contudo, esse catolicismo é permeado por crenças em forças mágicas capazes de intervir nos desígnios divinos, e que devem ser reconhecidas e constantemente enfrentadas. Por fim, a autora elabora uma reflexão densa acerca das dificuldades de realizar um trabalho de campo em um contexto de feitiçaria, tema que pode colocar em cheque certas concepções do pesquisador e muitas vezes provocar-lhe impactos emocionais significativos. Aqui, ela dialoga com casos clássicos de exposição à feitiçaria descritos na literatura antropológica internacional.